Pesquisa do Blog

29 de jun de 2013

Bolo Junino Festivo

Este bolo é uma excelente opção para quem comemora aniversário em pleno mês de festejos juninos!.. Na verdade sempre faço (independente do mês) como uma espécie de pavê, montada em travessa retangular, camadas de bolo e recheio.


Ingredientes para o Pão de ló:
6 ovos inteiros (peneirar as gemas)
2 xícaras de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de água
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de essência de baunilha

Modo depreparo:
Bater os ovos com o açúcar, a água e a baunilha até clarear e crescer bem (cerca de 15min). Passe p/uma bacia e acrescente a farinha de trigo e o fermento e mexa delicadamente.
Leve ao forno preaquecido em forma forrada com papel ou p.alumínio.

Ingredientes do Recheios/cobertura:
600 ml de creme de leite fresco p/chantily
1 lata de leite condensado
1 lata de leite comum
1 lata de doce de leite ou 1 lata de leite condensado cozido na pressão por 45min.
250gr de amendoim torrado e triturado (reserve alguns grãos inteiros p/decorar)

Modo de preparo:
Misture o leite condensado e o leite comum em uma panela e leve ao fogo baixo, mexendo sempre para não queimar, por cerca de 20min. Vai formar um creme molinho, acrescente o amendoim (reserve 1/2 xícara p/cobrir) mexa um pouco e desligue o fogo. Reserve.

Coloque o doce de leite dentro de uma saquinho plástico com a ponta cortada, fazendo uma espécie de manga de confeitar. Reserve.

Bata o chantily em ponto firme, sem adicionar açúcar. Divida em duas partes, utilizar 1 para o recheio, outra p/cobertura.

Montagem do Bolo:
Forre com plástico a mesma forma que assou o pão de ló e utilize-a para montar o bolo:
a) Corte o massa em 3 discos
b) Coloque o primeiro disco dentro da forma forrada,
c) Molhe a massa com guaraná
f) Por cima do chantily, aplique o doce de leite, formando fios ou espirais, sem necessidade de cobrí-lo todo. (para isso use o saquinho, que facilita muito)
d) Coloque metade do doce cremoso de amendoim
e) Por cima do creme, uma farta camada de chantily

Feito isso, repita com a segunda camada e termine com a massa. Molhe novamente e leve à geladeira por algumas horas, para estruturar o recheio.

Finalizando:
Vire o bolo sobre um prato.
Aplique o chantily reservado em toda a volta. Polvilhe o amendoim triturado em todo o bolo e os inteiros somente no topo (veja a foto).



Fonte:  http://culinariareceitas.blogspot.com

Hoje é Dia de São Pedro

São Pedro, o Apóstolo e o pescador do lago de Genezareth, cativa seus devotos pela história pessoal. Homem de origem humilde, ele foi Apóstolo de Cristo e depois encarregado de fundar a Igreja Católica, tendo sido seu primeiro Papa.

Considerado o protetor das viúvas e dos pescadores, São Pedro é festejado no dia 29 de junho, com a realização de grandes procissões marítimas em várias cidades do Brasil. Em terra, os fogos e o pau-de-sebo são as principais atrações de sua festa.

Depois de sua morte, São Pedro, segundo a tradição católica, foi nomeado chaveiro do céu. Assim, para entrar no paraíso, é necessário que o santo abra suas portas. Também lhe é atribuída a responsabilidade de fazer chover. Quando começa a trovejar, e as crianças choram com medo, é costume acalmá-las, dizendo: "É a barriga de São Pedro que está roncando" ou "ele está mudando os móveis de lugar".

No dia de São Pedro, todos os que receberam seu nome devem acender fogueiras na porta de suas casas. Além disso, se alguém amarrar uma fita no braço de alguém chamado Pedro, ele tem a obrigação de dar um presente ou pagar uma bebida àquele que o amarrou, em homenagem ao santo.


27 de jun de 2013

Cuscuz de Tapioca

Junho é um mês Delicioso, onde você encontra em todos os cantos do Brasil ótimas Festas Juninas.
Na região Nordeste a festa dura os 30 dias do mês, e as cidades de Caruaru, localizada em Pernambuco, e Campina Grande, que fica na Paraíba, disputam o título de "Maior São João do Mundo".

E uma característica marcante da festas são os pratos típicos... E um dos mais conhecidos e marcantes é o Cuscuz de Tapioca: um prato originário da culinária africana com ingredientes brasileiros de origem indígena. Também é conhecido como cuscuz branco ou ainda, pudim de tapioca. Na maioria das receitas de preparo do cuscuz de tapioca doce se acrescenta coco ralado, açúcar, água ou leite.

Voltando a falar da sua origem: os índios não tinham acesso ao açúcar e nem ao leite, por exemplo, ambos trazidos pelos europeus. Já as africanas eram as principais responsáveis pela administração alimentar da sociedade, ou seja, das mãos delas saia quase tudo o que era consumido na capela clerical, na casa grande, etc...  Ao ter acesso a mais recursos alimentares que os nativos, as mesmas acabavam por misturar tudo e criar receitas novas com os ingredientes ameríndios e europeus.

Mas, o que nos interessa agora é anotar a receita!

Ingredientes:
2 xícaras de tapioca (eu uso a tapioca da marca Yoki)
3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de café de sal
200 ml de leite de coco
400 ml de água
100 g de coco ralado (de preferência, coco fresco - e a nossa sugestão e a utilização do pacotinho de Coco Ralado Orgânico da FINOCOCO)
Leite condensado para acompanhar

Modo de preparo:
- Reserve uma forma de tamanho médio, ou um refratário untado levemente com óleo.
- Misture todos os ingredientes secos em uma tigela.
- Adicione o leite de coco fervido com a água e misture muito bem e rapidamente.
- Passe para a forma reservada, apertando levemente com uma colher para nivelar a tapioca.  
- Cubra a forma com papel alumínio e deixe descansar por 1 hora ou mais. E recomendável também, envolver esta forma com uma toalha bem grossa para manter o cuscuz aquecido por maior tempo.
- Ao término do preparo, resta agora polvilhar com coco ralado para decorar.
- Se quiser você pode servir as fatias colocando sobre elas leite condensado... Huuuuuummmmm!!!

Nota: Não é indicado o congelamento dessa receita, pois a sua consistência pode ficar alterada.


26 de jun de 2013

Bananinha

Muito mais saudável e gostosa... Esta e uma receita que também está presente nas Festas Juninas, conhecidas também como mariolas, ou bananadas.


Ingredientes:
7 bananas nanicas bem maduras cortadas em rodelas 
1 ½ xícarade açúcar
1/2 xícarade de aveia em flocos finos da Vitao
1 colher de sopa de mel
1 envelope de gelatina sem sabor
Açúcar cristal a gosto (opcional)

Modo de preparo:
- Em uma panela coloque as rodelas de bananas, adicione o açúcar, os flocos de aveia, o mel e por último a gelatina, sem hidratá-la. 
- Leve ao fogo e deixe ferver.
- Abaixe a intensidade da chama e mexa sempre até desgrudar do fundo da panela.
- Retire do fogo e transfira para uma assadeira levemente untada, espalhe o doce e deixe esfriar. 
- Desenforme, corte em cubos e se quiser passe no açúcar cristal.


Nota: O tempo que você ficar mexendo o doce de banana é que vai definir a cor dele. Quanto mais tempo de fogo, mas escura ficará sua bananinha.



Fonte: http://www.band.uol.com.br/diadia

25 de jun de 2013

Milho Verde Cozido em Apenas 3 minutos no Micro-ondas

Chega de perder tempo cozinhando milho verde em panelas de pressão. Com o auxílio do micro-ondas, mantendo o mesmo sabor e textura, é possível reduzir o tempo de cozimento para apenas três minutos. 

Você precisa de:
Espigas de milho verde limpas
Papel filme de PVC transparente (usado para embalar alimentos)
Pirex refratário, ou outro recipiente próprio para micro-ondas
Manteiga e sal a gosto

Modo de preparo:
- Embale, uma a uma, as espigas de milho em papel filme. 
- Coloque-as em um pirex, mas sem amontoá-las, de forma que fiquem uma ao lado da outra.
- Leve o recipiente ao micro-ondas e programe para três minutos de cozimento na potência alta.
- Deixe esfriar um pouco para poder desembalar.
- Coloque um pouco de manteiga e sal em cada espiga para finalizar.

Nota: Não há necessidade de acrescentar água ao cozimento.


24 de jun de 2013

Hoje é Dia de São João



As Festas Juninas vieram para o Brasil na época da colonização, trazidas pelos portugueses. São de origem francesa, por isso nas danças aparecem várias palavras nessa língua.
Nos arraiais juninos podemos encontrar vários elementos da cultura popular, que traduzem a crendice da população de cada região. Cada um desses símbolos tem um significado para a festa.


A quadrilha surgiu nos salões da corte francesa, recebendo o nome de “quadrille”, mas é de origem inglesa, uma dança de camponeses chamada “campesine”. Na época da colonização do Brasil, os portugueses trouxeram essa dança, bem como seus principais elementos: os vestidos lindos e rodados (que representavam as riquezas da corte), os passos puxados na língua francesa (anarriê, avancê, tour, etc.) e os agradecimentos aos santos pelas boas safras nas plantações.
O casamento caipira faz uma sátira aos casamentos tradicionais. A noiva está grávida e o pai da mesma obriga o rapaz a se casar. A apresentação do casamento na roça é muito engraçada, pois o noivo aparece bêbado, tentando fugir do altar por várias vezes, sendo capturado pelo pai da noiva que lhe aponta uma espingarda. Este conta com o apoio do delegado da cidade e do padre para que o casamento seja realizado. Após a cerimônia, os noivos puxam a quadrilha.
A fogueira simboliza a proteção dos maus espíritos, que atrapalhavam a prosperidade das plantações. A festa realizada em volta da fogueira é para agradecer pelas fartas colheitas. Além disso, como a festa é realizada num mês frio, serve para aquecer e unir as pessoas em seu redor. Cada santo tem uma fogueira, sendo a quadrada de santo Antonio, a redonda de São João e a triangular de São Pedro.
Os balões juninos indicam o início da festa, mas foram criados para reverenciar os santos da festa, agradecendo pela realização dos pedidos, normalmente relacionados ao namoro e ao casamento, onde as pessoas encontram seus pares românticos. Os balões não são mais usados, podem ocasionar vários incêndios, caindo em locais perigosos e destruindo a natureza.
Os fogos se originaram na China, também como forma de agradecer aos deuses pelas boas colheitas. São elementos de proteção, pois espantam os maus espíritos, além de servir para acordar São João com o barulho.
O pau de sebo é uma brincadeira com o objetivo de se ganhar uma quantia em dinheiro, que está afixada em seu topo. Com essa diversão a festa fica mais animada, pois as pessoas têm que subir no mastro, lambuzado de gordura. Muitas vezes, os participantes vão subindo nos ombros uns dos outros, até conseguirem pegar o prêmio, que acaba servindo para pagar parte de suas despesas na festa.
As simpatias proporcionam aos convidados maior sorte no amor. Os santos juninos são conhecidos como santos casamenteiros, mas santo Antônio é o mais influente deles. Nessas práticas, a imagem do santo é castigada, até que a pessoa consiga encontrar um amor.
As comidas típicas também são símbolos juninos, como forma de agradecimento pela fartura nas colheitas, principalmente do milho, a festa se tornou farta em seus deliciosos quitutes como: curau, canjica, pamonha, bolo de milho, milho cozido, pé de moleque, paçoquinha, Mané pelado, dentre outras.

O Dia de São João e também uma festa cristã, que celebra o nascimento de João Batista, um profeta que previu o advento do Messias na pessoa de Jesus Cristo e o batizou. 

São João, através de suas atitudes na vida, trouxe a mensagem de que "devemos mudar nossos rumos para encontrar a luz", sugerindo que o caminho para isso é a meditação, a interiorização, a reflexão, pois São João nos ensina que todas as respostas estão e serão encontradas dentro de nós.

Essa mensagem nos leva ao conteúdo da festa que é a Sabedoria, a capacidade de aprender algo a partir de nós mesmos. Devemos trabalhar em nós a coragem para um julgamento interior consciente; visando nosso amadurecimento como pessoa.

Na época da Festa de São João, no nosso hemisfério, vivemos o inverno e o frio que favorece o recolhimento, a meditação, a necessidade de ficar quieto e em silêncio. 

ORAÇÃO A SÃO JOÃO BATISTA 

Glorioso São João Batista, que fostes santificado no seio materno, ao ouvir vossa mãe a saudação de Maria Santíssima, e canonizado ainda em vida pelo mesmo Jesus Cristo que declarou solenemente não haver entre os nascidos de mulheres nenhum maior que vós; por intercessão da Virgem e pelos infinitos merecimentos de seu divino Filho, de quem fostes precursor, anunciando-o como Mestre e apontando-o como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, alcançai-nos a graça de darmos também nós testemunho da verdade e selá-lo até, se preciso for, com o próprio sangue, como o fizestes vós, degolado iniquamente por ordem de um rei cruel, cujos desmandos e caprichos havíeis justamente denunciado. Abençoai todos os que vos invocam e fazei que aqui floresçam todas as virtudes que praticastes em vida, para que, verdadeiramente animados do vosso espírito, no estado em que Deus nos colocou, possamos um dia gozar convosco da bem-aventurança eterna. 
Amém.

23 de jun de 2013

Esquentão de Chocolate

Uma excelente pedida para as noites frias... Se aprochegue comadre! 

                                                                      foto Net
Ingredientes:
1 xícaras de açúcar
1 pau grande de canela
6 cravo da índia a gosto
400 ml de água filtrada
2 colheres de sopa de gengibre bem picadinho (eu utilizo um mini processador)
400 g de chocolate meio amargo picado
2 xícara de aguardente de boa qualidade

Modo de preparo:
- Em uma panela, junte o açúcar, a canela, o cravo e o gengibre e leve ao fogo até o açúcar derreter e caramelizar.
- Acrescente a água, e mexa até dissolver o açúcar.
- Em seguida adicione o chocolate meio amargo e mexa bem até dissolver totalmente.
- Coloque a aguardente e deixe ferver por 15 minutos.
- Coe e bata tudo em um mix, ou no liquidificador, para criar uma leve espuma.
- Sirva em seguida.


21 de jun de 2013

Arroz Doce Cremoso

No Rio de Janeiro, o Arroz Doce era uma das sobremesas preferidas, e sempre presente nas mesas das pessoas ricas da época do Império... Ao longo do tempo, a receita adquiriu outras variações: como uso do leite condensado, do doce de leite e também do chocolate, que lhe confere um sabor ainda mais especial.

Há quem coma Arroz Doce o ano todo, mas muitos o consideram uma “Comidinha de Festa Junina”... E sendo assim, aqui vai uma receitinha super fácil de fazer e muito gostosa.
  
Ingredientes:
2 xícaras de arroz cozido Al dente sem nenhum tempero
1 ½ xícara de leite
1 lata de leite condensado
1/2 xícara de creme de leite
1 colher de sopa de açúcar
1 pitada de sal
4 cravos da índia
1 pau de canela
1 colher de café de canela em pó

Modo de preparo:
- Em uma panela, coloque o leite, o leite condensado, o creme de leite, açúcar, os cravos da índia, a canela em pau e o sal. Leve a panela ao fogo médio, e mexa delicadamente sem parar até engrossar.
- Retire do fogo e em seguida, coloque o arroz já cozido e a canela em pó. Misture tudo muito bem.
- Coloque o Arroz Doce em um refratário e ao servir, para decorar coloque um pouco mais de canela em pó.


20 de jun de 2013

O Gigante Acordou!.. Não é Só Pelos R$ 0,20!



O ministro Gilberto Carvalho, após reunião de governo, deu entrevista dizendo que não entende as razões das manifestações de protesto de ontem. O Jô Soares mais tarde se encarregou de explicar centavo por centavo as razões do surto da Galera. Será que agora perceberão !!!

JÔ Explica....











Pra quem não entendeu ainda: os vinte centavos, um por um:

00,01 - a corrupção
00,02 - a impunidade
00,03 - a violência urbana
00,04 - a ameaça da volta da inflação
00,05 - a quantidade de impostos que pagamos sem ter nada em troca
00,06 - o baixo salário dos professores e médicos do estado
00,07 - o alto salário dos políticos
00,08 - a falta de uma oposição ao governo
00,09 - a falta de vergonha na cara dos governantes
00,10 - as nossas escolas e a falta de educação
00,11 - os nossos hospitais e a falta de um sistema de saúde digno
00,12 - as nossas estradas e a ineficiência do transporte público
00,13 - a prática da troca de votos por cargos públicos nos centros de poder que causa distorções
00,14 - a troca de votos da população menos esclarecida por pequenas melhorias públicas (pagas com dinheiro público) que coloca sempre os mesmos nomes no poder
00,15 - políticos condenados pela justiça ainda na ativa
00,16 - os mensaleiros terem sido julgados, condenados e ainda estarem livres
00,17 - partidos que parecem quadrilhas
00,18 - o preço dos estádios para a copa do mundo, o superfaturamento e a má qualidade das obras públicas
00,19 - a mídia tendenciosa e vendida
00,20 - a percepção que não somos representados pelos nossos governantes

Se precisarem tenho outros vinte centavos aqui, é só pedir.



16 de jun de 2013

O BLOG ESTÁ EM GREVE! (Mas Aberto ao Debate - Atualizado em 19/06)


Será que agora finalmente mudaremos nossa historia?

Se o povo continuar assim, o país começa a mudar.

Chega de corrupção.
BRASIL, MOSTRA TUA CARA !


Abra este vídeo no youtube para ver a legenda.

Assista, Compartilhe, Divulgue em suas redes sociais...
MUDA BRASIL !
#changebrazil


ASSISTA TAMBÉM !


SEM VIOLÊNCIA E SEM VANDALISMO


"O POVO UNIDO NÃO PRECISA DE PARTIDOS"
Você se sente realmente representado pelos políticos que temos em nosso país? Você nota o empenho real desses "representantes" no sentido de garantir seus direitos básicos? 


15 de jun de 2013

Caldo Verde

Festa Junina sem esta sopinha não tem graça... Então "Bora fazer"!!!

Ingredientes:
2 batatas médias cozidas
1 tablete de caldo de galinha 
1 colher de sopa de azeite 
Sal a gosto
5 xícaras de água 
1 xícara de couve manteiga cortada em tiras
1 linguiça calabresa defumada cortada em rodelas 

Modo de preparo:
- Coloque no liquidificador as batatas cozidas, o tablete de caldo de galinha, o azeite, o sal e a água. Bata bem até desmanchar tudo. 
- Em uma panela coloque os ingredientes que foram batidos no liquidificador e leve ao fogo médio por 25 minutos. 
- Acrescente em seguida a linguiça calabresa e deixar cozinhar por mais 5 minutos. 
- Desligue o fogo, acrescente a couve e tampe a panela por alguns minutos.
- Sirva em seguida... Huuuuuuuuuummmmmmmm!!!


Fonte: Dia a Dia

14 de jun de 2013

Cupcake de Paçoca

A tradição das Festas Junina vai até o fim do mês de junho... 
Então, anota a receita, porque a Festa continua!!! 

Ingredientes:
1/2 de xícara de manteiga
1/3 xícara de manteiga de amendoim 
1 e 1/4 de xícara de açúcar mascavo
2 ovos
2 xícaras de farinha de trigo
3/4 de xícara de leite
1/2 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato
Doce de leite para cobrir e paçoca esmagadinha para dar aquele tchan!

Modo de preparo:
- Pré-aqueça o forno a 180°. Coloque as forminhas na assadeira de cupcake. Peneire os ingredientes secos separadamente.
- Na tigela da batedeira misture o açúcar mascavo, a manteiga de amendoim e a manteiga. Bata bem em velocidade média até ficar clarear e ficar fofinho (uns 2 minutos). 
- Acrescente um ovo de cada vez batendo bem após cada adição.
- Alternadamente junte a farinha e o leite a massa bata bem mas não muito! Apenas o suficiente para torná-la homogênea.
- Por fim e de preferência a mão junte o bicarbonato e o fermento misture bem.
- Preencha 3/4 da massa e leve para assar na grade do meio e bem no meio do forno por 25 minutos. Faça o teste do palito.
- Deixe o cupcake esfriar na assadeira por 5 minutos e depois transfira-o para uma grade para terminar o resfriamento. Umedeça o seu polegar e pressione delicadamente o centro dos cupcakes para formar leve uma cavidade vamos fazer uma pocinha de doce de leite ali! Uhuuuuu!!!
- Espere esfriar e coloque uma colher de doce de leite pastoso em cada depressão se preferir faça voltinhas com um doce de leite firme(veja a foto). Cubra com paçoca esfareladinha e pronto!


Fonte: Fofurices  (volta logo Amiga, sinto saudades do seu Blog) 

13 de jun de 2013

Hoje é dia de Santo Antônio - Conheça sua Historia

No dia 13 junho, a Igreja Católica celebra o dia de Santo Antônio de Pádua, um dos santos mais populares, venerado não somente em Pádua, onde foi construída uma basílica que acolhe os restos mortais dele, mas no mundo inteiro. São estimadas pelos fiéis as imagens e estátuas que o representam com o lírio, símbolo da sua pureza, ou com o Menino Jesus nos braços, que lembram uma aparição milagrosa mencionada por algumas fontes literárias.

Santo Antônio Nasceu em Lisboa, em uma família nobre, por volta de 1195, e foi batizado com o nome de Fernando. Começou a fazer parte dos cônegos que seguiam a regra monástica de Santo Agostinho, primeiramente no mosteiro de São Vicente, em Lisboa, e depois no da Santa Cruz, em Coimbra, renomado centro cultural de Portugal. Dedicou-se com interesse e solicitude ao estudo da Bíblia e dos Padres da Igreja, adquirindo aquela ciência teológica que o fez frutificar nas atividades de ensino e na pregação.

Em Coimbra, aconteceu um fato que mudou sua vida: em 1220, foram expostas as relíquias dos primeiros cinco missionários franciscanos que haviam se dirigido a Marrocos, onde encontraram o martírio. Esse acontecimento fez nascer no jovem Fernando o desejo de imitá-los e de avançar no caminho da perfeição cristã: então, pediu para deixar os cônegos agostinianos e converter-se em frade menor. A petição foi acolhida e, tomando o nome de Antônio, também ele partiu para Marrocos. Mas a Providência divina dispôs outra coisa.

Devido a uma doença, Santo Antônio se viu obrigado a voltar à Itália e, em 1221, encontrou São Francisco. Depois disso, viveu por algum tempo totalmente escondido em um convento perto de Forlì, no norte da Itália. Convidado, casualmente, a pregar por ocasião de uma ordenação sacerdotal, Antônio mostrou estar dotado de tal ciência e eloquência, que os superiores o destinaram à pregação. Começou, assim, na Itália e na França, uma atividade apostólica que levou muitas pessoas que haviam se separado da Igreja a retomarem sua participação e engajamento na vida eclesial.

Nomeado como superior provincial dos Frades Menores da Itália Setentrional, Antônio continuou com o ministério da pregação, alternando-o com as tarefas de governo. Concluído o mandato de provincial, retirou-se para perto de Pádua, local em que já havia estado outras vezes. Depois de apenas um ano, morreu nas portas da cidade, no dia 13 de junho de 1231. Pádua, que o havia acolhido com afeto e veneração em vida, prestou-lhe sempre honra e devoção.

Nos "Sermões", Santo Antônio discorre sobre a oração como uma relação de amor, que conduz o homem a conversar com o Senhor, criando uma alegria que envolve a alma em oração. Antônio nos recorda que a oração precisa de uma atmosfera de silêncio, que não coincide com o afastamento do barulho externo, mas é experiência interior, que procura evitar as distrações provocadas pelas preocupações da alma. Para Santo Antônio, a oração se compõe de quatro atitudes indispensáveis que, no latim, definem-se como: obsecratio, oratio, postulatio, gratiarum actio. Poderíamos traduzi-las assim: abrir com confiança o próprio coração a Deus, conversar afetuosamente com Ele, apresentar-lhe as próprias necessidades, louvá-lo e agradecer-lhe.

(Extraído e adaptado da Catequese do Papa Bento XVI no dia 10 de fevereiro de 2010)

Santo casamenteiro
Assim é invocado pelas pessoas que desejam se casar e lembrado pelo nosso folclore. Não se sabe qual a origem dessa devoção. Talvez esteja ligada a algum milagre feito pelo santo em favor das mulheres, por exemplo, quando fez um recém-nascido falar para defender a mãe acusada injustamente de infidelidade pelo pai.

Mas há outro episódio com explicação mais direta. Certa senhora, no desespero da miséria a que fora reduzida, decidiu valer-se da filha, prostituindo-a, para sair do atoleiro. Mas a jovem, bonita e decidida, não aceitou de forma alguma. Como a mãe não parava de insistir, a moça resolveu recorrer à ajuda de Santo Antônio. Rezava com grande confiança e muitas lágrimas diante da imagem quando, das mãos do Santo, caiu um bilhete que foi parar nas mãos da moça. Estava endereçado a um comerciante da cidade e dizia: "Senhor N..., queira obsequiar esta jovem que lhe entrega este bilhete com tantas moedas de prata quanto o peso do mesmo papel. Deus o guarde! Assinado: Antônio".

A jovem não duvidou e correu com o bilhete na mão à loja do comerciante. Este achou graça. Mas, vendo a atitude modesta e digna da moça, colocou o bilhete num dos pratos da balança e no outro deixou cair uma moedinha de prata. O bilhete pesava mais! Intrigado e sem entender o que se passava, o comerciante foi colocando mais uma moeda e outras mais, só conseguindo equilibrar os pratos da balança quando as moedas chegaram a somar 400 escudos. O episódio tornou-se logo conhecido e a moça começou a ser procurada por bons rapazes propondo-lhe casamento, o que não tardou a acontecer, e o casamento foi muito feliz. Daí por diante, as moças começaram a recorrer a Santo Antônio sempre que se tratava de casamento.

Santo das coisas perdidas
Esta tradição é antiquíssima, encontrando-se menção dela no famoso responsório "Si quaeris miracula", extraído do ofício rimado de Juliano de Espira. Popularmente, o "Siquaeris" é mencionado como uma oração para encontrar objetos perdidos. A crença pode estar ligada a episódios da vida de Santo Antônio como este: Quando ensinava teologia aos frades em Montpeilier, na França, um noviço fugiu da Ordem levando consigo o Saltério de Frei Antônio, com preciosas anotações pessoais que utilizava nas suas lições. Antônio rezou pedindo a Deus para dar jeito de reaver o livro e foi atendido deste modo: enquanto o fugitivo ia passando por uma ponte, foi subitamente tomado pelo pavor, parecendo-lhe ver o demônio na sua frente que o intimava: "Ou você devolve o Saltério ao Frei Antônio ou vou jogá-lo da ponte para o rio!" Assustado e arrependido, o jovem voltou ao convento com o saltério e confessou ao santo a culpa.

O "pão dos pobres"
Essa prática consiste em doações para prover de pão os pobres, honrando assim o "protetor dos pobres" que é Santo Antônio. Uma tradição liga essa obra ao episódio de uma mãe cujo filho se afogou dentro de um tanque, mas recuperou a vida graças a Santo Antônio. A mulher prometera que, se o filho recuperasse a vida, daria uma porção de trigo igual ao peso do menino. Por isso, no começo, esta obra foi conhecida como a obra do "pondus pueri" (peso do menino). Outra tradição relaciona a obra do pão dos pobres com uma senhora de Tbulon, chamada Luísa Bouffier. A porta do seu armazém tinha enguiçado de tal modo que não havia outro remédio senão arrombar a porta. Fez, então, uma promessa ao santo: se conseguisse abrir a porta sem arrombá-la, doaria aos pobres uma quantia de pães. E deu certo. Daí por diante, as petições ao santo foram se multiplicando em diferentes necessidades. Toda vez que alguém era atendido, oferecia certa quantia de dinheiro para o pão dos pobres. A pequena mercearia de Luísa Bouffier tornou-se uma espécie de oratório ou centro social. A benéfica obra do "pão dos pobres" teve extraordinário desenvolvimento, com diferentes modalidades, e hoje é conhecida em toda parte.

(Extraído e adaptado dos Cadernos Franciscanos, "Santo Antônio e a devoção Popular", de Frei Adelino Pilonetto, Ofmcap).


12 de jun de 2013

O Amor


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração para de funcionar por alguns segundos, preste atenção. Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante e os olhos
Encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino: o Amor.

Se um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você tiver a certeza que vai ver a pessoa envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela... Se você preferir morrer antes de ver a outra partindo: é o Amor que chegou na sua vida... E é uma Dádiva.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um Amor verdadeiro... Ou às vezes encontram e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o Amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente... É o livre-arbítrio. 

Por isso preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o verdadeiro Amor. 
Carlos Drummond de Andrade

Feliz Dia dos Namorados
E Em Especial Para Você Meu AMOR

10 de jun de 2013

Leque de Carne com Provolone

Há dois dias do "Dia dos Namorados", se você ainda não sabe o que vai fazer para aquele jantarzinho super romântico... Aqui vai uma sugestão rápida, barata, super fácil de fazer e também muito gostosa... Huuuuuuuummmmmmmmmmm!!! 

Ingredientes
1 ½ quilo de  filé mignon 

Tempero: 
6 dentes de alho descascados
1 cebola picada
1/2 xícara de salsinha pic
1 colher de café de sal
1 pitada de pimenta calabresa seca
2 colheres de sopa de azeite

Outros ingredientes
3 cebolas grandes cortada em fatias grossas, e não precisa separar os aneis
1 colher de sopa rasa de açúcar
200 gramas de provolone em fatias não muito fina
200 gramas de bacon em fatias

Modo de preparo:

- Para o tempero, processe todos os ingredientes até ficar uma pasta e passe pela peça de carne (este tempero pode ficar guardado na geladeira por uma semana, para você usar quando quiser). Deixe marinar sua carne nesse tempero no mínimo 30 min. 
- Sele a carne, dourando-a de todos os lados em uma frigideira grande. 
- Transfira a carne para uma tábua. Faça cortes com uma faca bem afiada, mas com cuidado de não separar as fatias por completo, e encaixe em cada corte um pedaço de provolone e uma fatia de bacon. Reserve.
- Forre o fundo de uma assadeira com as cebolas fatiadas, e polvilhe o açúcar sobre elas. 
- Disponha a carne sobre as cebolas, cubra com papel alumínio e leve ao forno
pré-aquecido a 180ºC por aproximadamente 1 hora. 
- Tire o papel alumínio, e mantenha a carne no forno por alguns minutos para gratinar.
- Sirva com arroz, uma saladinha de rúcula e um bom vinho é claro.


Fonte: http://www.band.uol.com.br/diadia

9 de jun de 2013

Bolo Pega Marido

Este Bolo é muito gostoso, e parece um pouco com um pudim, por ser um bolo mole e sem fermento.
Sua origem é Nordestina, e recebe também o nome de Bolo Engorda Marido... Isso porque, segundo as histórias contadas pelo povo, existia por aquelas bandas uma mulher tinha um marido muito magrinho, e ela como boa esposa e para manter seu casamento, fazia sempre esse bolo pra ele. Conta-se que com o passar do tempo, o marido de tanto se empapuçar de bolo, acabou ficando parrudo e vistoso (ou seja, mais gordinho e bonito)

Até quem não tem muita prática na cozinha é capaz de fazer este bolo.
Mas antes de passar a receita, é necessário saber que, a medida principal utilizada aqui é da a lata vazia do leite condensado. Ok!!!

Ingredientes:
Para o bolo:
1 lata de leite condensado
1 lata de leite integral (300ml)
1 lata de farinha de trigo (150g)
1/2 medida da lata de açúcar (150g)
3 ovos grandes inteiros
3 colheres de sopa de margarina (60g)
1 vidro pequeno de leite de coco (200ml)

Cobertura (opcional):
1 lata de leite condensado
1 colher de sopa rasa de margarina
1 pacote de coco ralado (100g)
  
Modo de preparo:
Para a massa:
- Bata todos os ingredientes no liquidificador por aproximadamente 3 min (a consistência dessa massa de bolo é bem líquida mesmo, não se preocupe).
- Coloque a massa em uma fôrma para pudim (aquela de furo central) untada e enfarinhada.
- Leve ao forno pré-aquecido a 180°C, e deixe assar de 40 a 50 min aproximadamente, até ficar firme e douradinho (faça o teste do palito: espete o bolo com um palito e se este sair limpo, isso indica que o bolo está pronto).
- Deixe esfriar para desenformar.

Para a cobertura:
- Misture bem o leite condensado e a margarina, e leve ao fogo baixo, mexendo sempre com cuidado para não queimar.
- Quando começar a ferver, conte uns 3 min, apague o fogo e coloque ainda quente sobre o bolo (tem de ficar como um brigadeiro mole).
- Espalhe o coco ralado, deixe esfriar antes de servir (veja a foto). 


O Bolo é Delicioso, e afinal de contas... Marido 
a gente conquista pelo estômago!!! 

Tenham Todos Um Bom Domingo.

8 de jun de 2013

Pastel de Carne Diferente

"A minha mãe pediu pra eu postar"...Esta postagem é do Blog Planeta Curioso do amigo Carlos Augusto (http://gauchaopina.blogspot.com.br)... E vale apena aprender a fazer esta Delicia... Huuuuummmmm!!!

Ingredientes:
1 kg de massa de pastel (à venda nas feiras)
1 kg de patinho moído
3 folhas de louro
1 cebola média picada
1 tomate Débora picado
3 dentes de alho picados
1/2 xícara de óleo
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
1 pitada de glutamato monossódico
1/2 xícara de folhas de manjericão fresco picadas
1/2 xícara de cebolinha picada a gosto
Óleo de soja para fritar

Modo de fazer:
1- Cozinhe a carne numa panela, temperada apenas com o louro. Não é preciso acrescentar água. Quando estiver cozida, escorra bem e reserve.
2- Em outra panela, frite o alho, o tomate e a cebola no óleo, temperados com sal, pimenta e glutamato monossódico.
3- Adicione a carne ao refogado e mexa até dourar. o recheio deve ficar sem caldo, para não encharcar a massa.
4- Desligue, espere esfriar e recheie os pastéis. Salpique o manjericão e a cebolinha, feche com carretilha (ou com ajuda dos dentes do garfo) e frite por imersão, em óleo de soja bem quente.

Rendimento 10 unidades
Tempo de preparo 40 min


Fonte:http://gauchaopina.blogspot.com.br/2013/05/aprenda-fazer-um-pastel-de-carne.html#comment-form

6 de jun de 2013

Hambúrguer Divertido com Cara de Porquinho da Fazenda.

Festa Junina é sempre muuuuuiiiiiiito divertida... E eu tenho certeza que os baixinhos (e também os baixinhos beeeeem grandinhos) vão enlouquecer ao ver, e principalmente saborear estes Hambúrgueres... Huuuuuuummmmmm!!! 

Ingredientes:
1/2 cebola grande picadinha
2 dente de alho bem picadinho
1 colheres sopa de azeite
500 g carne moída com pouca gordura
2 a 3 colheres de sopa de salsinha e cebolinha verde bem picadinha (o mesmo que cheiro verde)
1/2 pacote de creme de cebola (aquelas sopinhas instantâneas), ou mais a seu gosto 
1 ovo (se necessário)
Pães de hambúrguer
200 g de queijo muzzarella, ou prato cortado em fatias finas
Maionese, mostarda e ketchup a gosto
4 a 6 salsichas
5 azeitonas pretas

Modo de preparo:
- Coloque água em uma panela e deixe ferver. Adicione as salsichas e cozinhe por 3 min. Apague o fogo, deixe esfriar um pouco antes de escorrer a água que a esta altura sairá com a cor alaranjada. Lave as salsichas em água fria e reserve. 
- Em uma frigideira, refogue a cebola e o alho no azeite. Retire do fogo e deixe esfriar. 
- Em um recipiente fundo como uma bacia, coloque a carne, a salsinha e a cebolinha verde, o creme de cebola a seu gosto, o refogado anterior e misture bem até formar uma massa homogênea (se achar que não está dando a liga, acrescente 1 ovo e misture mais um pouco). Molde os hambúrgueres e ai você decide, se coloca sobre uma gril levemente untado com azeite, ou frita o hambúrguer em uma frigideira com óleo. Feito isso, reserve. 
- Corte os pães ao meio, passe um pouco de maionese em cada lado.
- Coloque um hambúrguer em uma das fatias de pão, sobre ele a fatia de queijo, um pouco de mostarda e ketchup, e cubra tudo com a outa fatia de pão... Hambúrguer pronto.
- Agora começa a brincadeira... Faça o nariz do porquinho cortando uma rodela de salsicha e furando-a com um canudinho de refrigerante (prenda passando um pouquinho de maionese, e se achar que vai cair, coloque um pedacinho de palito de dente para fixar mais). Para as orelhas, corte as rodelas ao meio e use um palito de dente para fixá-las no pão. Faça os olhinhos com um pingo de maionese e um pedacinho de azeitona preta (veja a foto).
- Coloque em um prato bem bonito e grite bem alto... "Quem vai querer um Hambúrguer com Cara de Porquinho!!!"


5 de jun de 2013

Pé de Moleque com Aveia - É tempo de Festas Juninas!!!

 
*Existem duas explicações para o termo Festa Junina.  
- A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho.
- Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio à dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo à dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Todos estes elementos culturais foram com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

Em junho a festança começa no dia 12 de Junho, véspera do Dia de Santo Antônio (o santo casamenteiro, e é também o dia dos Namorados por aqui) e se encerra no dia 29, Dia de São PedroO ponto mais elevado da festa, no entanto ocorre entre os dias 23 e 24, o Dia de São João, muito comemorado na região Nordeste do Brasil.

Hoje, cada região tem seu jeito de comemorar a festa, mas uma coisa todas tem em comum: a comilança!

Bolos de milho, curau, pamonha, canjica, tapioca, amendoim, queijadinha, pinhão, farofa, quentão, pipoca, paçoca e pé de moleque são só alguns dos muitos e muitos itens comuns nas mesas juninas pelo Brasil afora. Ufa! Dá-lhe força depois na malhação, né? Aliás, não seria justo que tudo que a gente comesse em junho não engordasse? Os santos bem que podiam dar essa forcinha pra gente, não é mesmo? ;)

Bom… mas enquanto isso não acontece (sonha, Alice!..), dá pra deixar alguns pratos da festa, se não menos calóricos, pelo menos mais nutritivos, como esse pé de moleque com aveia…

 Pé de Moleque com Aveia

Ingredientes:
2 colheres de sopa de margarina
1/2 xícara de açúcar mascavo
3 colheres de sopa de mel
2 xícaras de aveia (eu usei a aveia em flocos finos VITÃO)
1/2 xícara de amendoim torrado sem casca

Modo de preparo:
Unte uma forma refratária de 18 cm. Leve ao fogo o açúcar, a manteiga e o mel até dissolver. Tire do fogo e junte a aveia e os amendoins. Mexa bem. Derrame a mistura na forma e leve ao forno em 190ºC por 25 minutos, até ficar dourado e começar a borbulhar nas beiradas. Deixe esfriar na própria forma durante 5 minutos. Corte com uma faca afiada, marcando os quadrados. Deixe esfriar completamente e quebre os quadradinhos.


Fonte:http://www.blogdautilplast.com.br